Sociedade e Desenvolvimento
Um movimento a favor do futuro

Na última sexta feira, dia 10, realizou-se na Acicam um encontro cujo tema principal foi a discussão de Estratégias de Desenvolvimento Local. A partir da apresentação de diversos exemplos de municípios que criaram projetos de longo prazo a partir de movimentos sociais organizados, lideranças mourãoenses tiveram a oportunidade de perceber a importância de assumir o protagonismo e trabalhar em conjunto para a construção de um futuro mais próspero para o município e região.

Após uma série de provocações do Secretário Estadual Silvio Barros, principalmente chamando a atenção para as novas tecnologias emergentes e seu impacto no planejamento das cidades, foi a vez da apresentação de um dos mais emblemáticos exemplos de organização social em prol de um projeto de desenvolvimento que eu conheço: o Codem de Maringá.

Num segundo momento, uma parte mais técnica apresentada por executivos dos Conselhos, trouxe boas práticas adotadas por Conselhos já constituídos em municípios Paranaenses.

Meu objetivo aqui é trazer algumas reflexões e considerações sobre estes movimentos e as lições aprendidas por eles.

Em primeiro lugar, é necessário que os envolvidos com o planejamento da Cidade, sejam do poder público ou da sociedade organizada busquem saber quais serão os desafios do futuro, as tecnologias que estão a surgir e como elas afetarão a vida das pessoas na cidade.

A partir de um grupo de pessoas comprometidas com o território é que um projeto dessa natureza começa. Normalmente surge num momento de crise, como foi o caso de Maringá, que viu sua economia fraquejar em meados de 1990, o que fez as lideranças se moverem para mudar a realidade da cidade e não terem que mudar de cidade.

O compromisso com a cidade deve ser acompanhado da parceria entre o movimento da sociedade civil organizada com o poder público. O movimento social deve ser auxiliar dos poderes constituídos e não mais uma instância reivindicatória. A cumplicidade entre essas forças é condição sine qua non para que o desenvolvimento aconteça. Porque serão forças complementares. Nas situações em que o poder público não pode agir, seja por questões de caráter legal, burocrático ou político, é onde a sociedade entra. O contrário também é verdadeiro. Cada um contribui com sua parcela de responsabilidade.

Um outro aspecto que gostaria de destacar é a condução do processo propriamente dito. As lideranças devem cuidar para ter uma metodologia de trabalho, que agregue pessoas, não crie concorrência com outros conselhos ou movimentos existentes, e que permita a participação construtiva daqueles interessados em contribuir. Gerar pequenos resultados no curto prazo é importante para manter a motivação do grupo.

Usar experiências anteriores do município, buscar benchmarking em outras regiões com projetos semelhantes, harmonizar a competência dos envolvidos e das entidades que representam são cuidados importantes para a manutenção do movimento.

E, complementarmente, um bom diagnóstico, que demonstre a realidade real e que permita uma expansão dos conhecimentos das pessoas acerca de seu ambiente é fundamental. Como disse Albert Einstein, nós não podemos resolver um problema com o mesmo estado mental que o criou, então é necessário ampliar os horizontes, entender as razões das dificuldades pelas quais passamos, e avaliar com clareza as potencialidades que deverão ser exploradas para a consecução do objetivo comum.

Por ora, a última observação diz respeito à necessidade de recursos para viabilizar os estudos e uma equipe técnica. O comprometimento de lideranças voluntariamente é importante, o conhecimento dessas pessoas é um diferencial importante, mas chegará o momento em que será preciso contratar profissionais, empresas, estudos que subsidiarão as decisões e ações do Conselho.

Campo Mourão iniciou o movimento e criou seu conselho, o Codecam. Com o apoio da administração pública e de diversas entidades, inicia-se este importante processo de pensar além de mandatos eleitorais, visando projetar uma Campo Mourão mais forte, sem perder a capacidade de acolher a todos e promover um desenvolvimento sustentável, humano e contínuo. É imprescindível neste momento inicial que superemos os egos, prelevemos os erros, e caminhemos juntos com os olhos no futuro que sonhamos para nosso município.

___

Carlos Alberto Facco - Secretário de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão | [email protected]