Campo Mourão

Cooperativa extinta faz doação de R$ 80 mil à Santa Casa de CM

José Carlos Laurani, tesoureiro da Santa Casa, ao receber o cheque de R$ 80 mil de Valdomiro Bognar.

Um cheque no valor de R$ 80 mil foi doado à Santa Casa de Misericórdia de Campo Mourão pela diretoria responsável pela liquidação da Cooperativa de Eletrificação Rural de Campo Mourão (CERCAM). A cooperativa, que chegou a ter mais de 500 associados entre as décadas de 70 e 80, foi extinta há mais de 20 anos, mas continuava existindo “no papel” até ser oficialmente liquidada recentemente.

“Quando foi extinta os próprios associados pediram para constar em ata que a sobra de caixa seria doada à Santa Casa e estamos felizes por poder fazer essa contribuição”, disse o engenheiro agrônomo Valdomiro Bognar, que junto com Benildo Castelli e Ivo Bruneta formam a diretoria constituída há cerca de 20 anos para liquidar a cooperativa. A entrega do cheque foi feita ao tesoureiro da Santa Casa, José Carlos Laurani, na sede da TRIBUNA.

Bognar explica que durante muitos anos a CERCAM comprava energia da Copel e distribuía aos associados, a maioria agricultores, que pagavam uma mensalidade. “A cooperativa tinha até loja de materiais elétricos em Campo Mourão e Cianorte”, recorda Bognar. Com o passar dos anos, especialmente quando começou a distribuir energia na zona rural, a Copel perdeu o interesse em negociar com a CERCAM e a cooperativa entrou em decadência ao ponto dos antigos diretores colocarem até propriedades como garantia de dívidas bancárias.

“Então foi decidido constituir uma diretoria, onde fui eleito presidente, com apoio do Ivo Bruneta e do Benildo Castelli, para liquidar a cooperativa, que tinha muitas ações trabalhistas e processos jurídicos que demoraram muito até conseguirmos pagar todas as contas. Sobrou então esse valor em caixa que por decisão dos antigos associados estamos repassando à Santa Casa”, explicou Bognar.

Ao receber o cheque, o tesoureiro do hospital, José Carlos Laurani disse que foi uma grata surpresa quando recebeu um telefonema de Bognar anunciando a doação. “Minha função como tesoureiro é pedir recursos, mas agora chegou esse sem que eu pedisse”, agradeceu. Segundo ele, caberá a diretoria da Santa Casa decidir a destinação do recurso, mas já adiantou que vai indicar o uso do dinheiro para amortização de dívidas com aluguel de equipamentos do Centro Cirúrgico.