Campo Mourão

Encerra hoje prazo para inscrições de chapas para eleição do Conseg

O Conseg tem como função principal agregar a comunidade aos órgãos de segurança.

Aberto desde o dia 5 deste mês, o prazo paras as inscrições para eleição do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Campo Mourão encerra nesta terça-feira (20). A eleição será no dia 11 de setembro.  Cada chapa precisa ter no mínimo sete membros para formar a diretoria do Conseg, sendo um presidente, um vice-presidente, um tesoureiro, um secretário, e três membros do Conselho Fiscal. 

Parar concorrer é preciso ser maior de 18 anos e residir no município. O mandato será para os próximos dois anos (2020/2021). Até o momento, segundo o vice-presidente do Conseg, delegado de Polícia Civil aposentado, Benedito Lucio de Souza, não há nenhuma chapa inscrita. “Se não houver chapa o Conseg pode ser extinto”, teme Souza. 

O atual presidente da entidade é o advogado Andrey Legnani, que encerra o mandato no dia 31 de dezembro deste ano. Ele afirmou recentemente à TRIBUNA que não se candidatará à reeleição. Para Legnani, a renovação é fundamental para manutenção efetiva do Conselho. “Dei minha contribuição, alavanquei trabalhos que estavam parados e tivemos muitos projetos realizados. É hora de alternar a presidência, trazer gente com novas ideias”, justificou em recente entrevista ao jornal.  

O vice-presidente do Conseg, Benedito de Souza, que já foi presidente do Conselho por 8 anos, informou que sempre existiu esta dificuldade para encontrar candidatos à eleição da entidade. “Sempre foi muito difícil formar uma chapa, primeiro porque o trabalho exige muito já que há uma cobrança enorme e, segundo, porque quem atua no Conselho não ganha para isso, trabalha de forma voluntária”, falou.

Segundo Souza, o Conseg tem uma importância fundamental na sociedade, já que tem como função principal agregar a comunidade aos órgãos de segurança. “O Conseg é extremamente importante porque ele que vai levar a reivindicação da comunidade junto aos órgãos de segurança. Quando existe um fato e a comunidade precisa de um apoio mais intensificado, o Conseg se torna um instrumento na mão da população para que ela possa exercer o seu direito de segurança pública”, ressaltou, ao comentar que a falta de interessados no decorrer dos anos pelos trabalhos do Conselho é preocupante.