Região

Municípios promovem semana de intensificação de vacinas na Comcam

A 11ª Regional da Saúde de Campo Mourão e os 25 municípios da Comcam estão realizando esta semana uma mobilização regional visando a intensificação para atualização vacinal em toda a região. A ação prossegue até o próximo dia 10. Pais, cujo filho esteja com alguma das vacinas disponibilizadas no calendário nacional atrasadas devem procurar as unidades básicas de saúde para atendimento.

A principal preocupação da regional e municípios é com relação ao baixo índice vacinal contra HPV (Vírus do Papiloma Humano) e Meningo “C” (meningite) em crianças e adolescentes. O índice de vacina na região continua muito baixo variando entre 27% a 67% na faixa etaria de 9 anos. Nas outras faixas, de 10, 11 e 12 anos, tem município que não vacinou ninguém. A maior cobertura vacinal desta faixa etária até o momento é de 19%, considerada muito baixa pela Regional da Saúde.

Em Campo Mourão, de acordo com enfermeira da Vigilância Epidemiológica da Regional de Saúde, Evandra Cristina Pereira, a cobertura contra HPV em crianças de 9 anos com as duas doses alcançou apenas 36% do púbico até o momento, com 703 pessoas vacinadas. A estimativa da Regional da Saúde é que faltam para ser vacinados 6,6 mil adolescentes no município contra a doença.

Entre as ações, para atingir o público alvo contra HPV e Meningo “C”, alguns municípios estão estendendo o horário de atendimento nesta semana com as unidades de saúde funcionando inclusive no próximo sábado, outros fizeram parceria com escolas para estar fazendo a vacinação nestes locais, e alguns ainda realizam mutirões para receber os adolescentes.

“A resistência dos pais em levar o filho para vacinar continua sendo a principal causa para o baixo índice de vacina”, frisou Evandra. Segundo ela, a obrigatoriedade de declaração de vacina para a matrícula escolar dos filhos está sendo positiva fazendo com que muitos pais levem seu filho para vacinar. “Mas mesmo assim tem pais que ainda se recusam”, lamentou.

Evandra ressaltou que todas as vacinas disponíveis no calendário, cuja criança não tomou, estão sendo oferecida nesta semana nas unidades de saúde dos municípios. “Lembrando que isso não é uma campanha, mas apenas uma intensificação para a gente melhorar a cobertura de vacinas na região. Não é qualquer criança que será vacinada, só aquelas que tiverem com calendário de vacinação atrasado”, lembrou.

A enfermeira acrescentou que é importante que os pais levem a carteirinha de vacinação dos filhos, pois é através do cartão de vacina que o profissional é capaz de fazer uma avaliação da dose que a criança deve tomar.

O público alvo da vacinação contra HPV é meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. A cobertura vacinal só está completa após a segunda dose da vacina. O adolescente que recebeu a primeira aplicação deve voltar ao posto de saúde após seis meses para repetir a imunização. O vírus do papiloma humano, ou HPV, é causa de diversos tipos de cânceres.

A vacina previne 70% dos casos de câncer de colo de útero, 90% de câncer anal, 63% de câncer de pênis, 70% de câncer vaginal, 72% de câncer de orofaringe e 90% das verrugas vaginais. A vacina é segura e não aumenta o risco de eventos adversos graves.