Polícia Civil orienta sobre golpes de clonagem de WhatsApp

Os casos de clonagem de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, têm se tornado cada vez mais frequentes em Campo Mourão e região. Após se apropriarem indevidamente de um número de celular, os bandidos se passam pela vítima e entram em contato com familiares e amigos pedindo ajuda em dinheiro. Em grande parte dos casos, conseguem o que querem, deixando prejuízos às vítimas.

Para evitar este tipo de crime, a Polícia Civil de Engenheiro Beltrão orienta a população sobre o golpe. O delegado Wagner Quintão Soares, diz que a primeira medida a tomar, a quem cai neste tipo de golpe é registrar um boletim de ocorrência junto a Polícia Civil. Em seguida, a vítima deve comunicar seus contatos, familiares, e amigos. “Caso alguma pessoa tenha feito transferência, comunique imediatamente à instituição bancária. Outra medida a ser tomada é enviar e-mail para [email protected],com solicitando a desativação da conta”, orienta.

De acordo com a polícia, depois que o estelionatário consegue clonar a conta, começa a mandar mensagens para vários conhecidos da vítima pedindo dinheiro. Os criminosos inventam todo tipo de história. As mais comuns são que precisam pagar um boleto e devolverão o valor no dia seguinte, que tiveram problema com o carro e precisam consertar com urgência, entre outras. Tudo com objetivo de sensibilizar quem está do outro lado.

A Polícia Civil alerta que para evitar que o número seja clonado é importante entender como os bandidos agem para ter acesso à conta. Para registrar o WhatsApp em um aparelho é preciso inserir o número e em seguida digitar um código enviado por SMS. É nesta etapa que começa o golpe. Os criminosos geralmente pegam os contatos em sites de anúncios e usam isso como enredo para ludibriar as vítimas. Uma das alegações dos criminosos é que o anúncio da vítima foi replicado por uma terceira pessoa de forma ilegítima. Em seguida, eles avisam que o site está fazendo a verificação para encontrar o verdadeiro anunciante e solicitam o código para autenticar o anúncio. Em seguida, a vítima perde o acesso ao próprio WhatsApp. A exceção é quando o dono do número ativou a ‘Verificação em duas etapas’.

A orientação é que além de jamais fornecer o código enviado por SMS, é que os usuários ativem a ‘Autenticação de dois fatores’ ou ‘Verificação em duas etapas’. A medida de segurança está disponível em todos os aparelhos, que além do código, vai exigir um PIN criado pelo usuário. Para a ativação, basta acessar a opção ‘conta’ nas configurações do aplicativo.

Dicas para se prevenir do golpe

* Uma medida simples para evitar que o WhatsApp seja clonado é habilitar, no aplicativo, a opção “Verificação em duas etapas” (configurações/ajustes > conta > verificação em duas etapas). Desta forma, é possível cadastrar uma senha que será solicitada periodicamente pelo app;

*Também é importante evitar a divulgação de dados pessoais nos sites de anúncio. Os sites nunca entram em contato para confirmar o cadastro, segundo o delegado;

* Antes de fazer qualquer transferência ligue para saber se a pessoa realmente precisa do dinheiro;

* Se, por acaso, acontecer da conta ter sido clonada, é importante registrar o boletim de ocorrência juntamente com as vítimas que fizeram a transferência. Com mais informações em mãos, de acordo com o delegado, fica mais rápida a investigação.